segunda-feira, 24 de janeiro de 2011


LES ASSIS
W.B. Leal

Logo ela não respondeu, quem sabe pensou Talvez isso seja loucura Talvez ele seja apenas uma desmedida aparição que se dissolverá na claridade do dia, afogando-se, ela, num afastamento que se confundia com o primeiro silêncio, ele pensava A sua distância é uma máquina feroz Mastiga os meus ossos como fez o seu olhar, e então recalculava as palavras, repisava cada sílaba, sentia o vapor que a sua respiração provocava nos vidros das ruas, Ele deve ser louco, ela escreveu na margem do caderno, Quem é este homem que no meio de um dia descortina com a notícia de seu nome o drama de um tango Talvez seja o seu divertimento os jogos de números e as adivinhações Talvez seja pura sorte esse palco agora tocado por quatro pés descalços, E assim o tempo passou, ele desceu as escadas, carregou em seu corpo a alma do espelho, enquanto dizia Talvez isso seja loucura Talvez ela seja apenas uma desmedida escuridão que se dissolverá na claridade do dia.

WBLog/foto: Ana Claudia Lubitz

Um comentário: