sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

2010


PAROANO/ Weydson Barros Leal


Que este ano seja feito de segundos, vividos um a um,
e não apenas de meses, semanas ou dias riscados no calendário;
que os dias não sejam só expedientes de onde queremos fugir,
pois não se pode fugir do tempo.

Que não sejam somente números as vinte e quatro horas de cada dia,
nem sua passagem a espera pelo sábado ou o domingo
que apenas renovam esta verdade:
a natureza não sabe os nomes do tempo.

Que o ano seja feito de dúvidas e certezas – essas tantas
metades da esperança –, pois a certeza sabe que a fé pode ser maior
do que aquilo que está para acontecer, e a fé transforma os homens,
que transformam as coisas e os dias.
Que o ano seja sempre melhor do que poderia ter sido
nos nossos desejos passados,
e que os votos para o ano novo
nos últimos dias de dezembro, se transformem em verdade,
e que não esqueçamos das pessoas a quem desejamos,
naqueles dias, não sabemos mais o quê.

Que o ano que começa seja para “fazer o mundo feliz” –
seja lá o que isso for –,
mas também para mudar as certezas, realizar novos planos,
e para que esses planos e essas certezas sejam maneiras
de melhorar a vida, pois é a vida –
seja lá o que isso for – o sentido de tudo.

wbl

5 comentários:

Tâmara disse...

Poeta, vim aqui lamber teu sossego......rs

e dizer que em 2010 eu quero é mais!

Ah!...aproveita pra dar um pulo no INTIMIDADE qque tem um pedacinho de voce lá!.....rs

Beijo!

um só!

Carol Mioni disse...

Que 2010 seja o ano! O ano do amor, da paz, do carinho...

=]

SEMEARTE disse...

Adorei suas expectativas para 2010.
Aproveitemos sempre mais!!

NovaFã disse...

Melhor definição da hipocrisia que expressam os cartões de Natal/Ano Novo não há.
Soma-se a isso, não obstante, o igual desejo de todos nós de que a renovação venha com o primeiro de janeiro...

Madeira de Cetim disse...

Onde estão as sílabas que pareciam cair puras e distraídas?
A boca desejo não mais lambe o verso confesso?
Em tua alma, fornalha com asas, o que abrasas?