quinta-feira, 1 de novembro de 2012

A LEMBRANÇA
W.B. Leal

O azul de sua lembrança descansa na noite que a minha fogueira alimenta.
É a lua o seu sino que se dissolve em manhã.

Ela é a dança e o céu de um jardim que suponho.
Cada letra do seu nome acorda o caminho onde começa a paz.

É doce a sua palavra. Por sua mão os pássaros retornam,
querem o tempo que outra estação inventou,

o leito onde lembram a liberdade que trazem. É a sua verdade
o que amo. O amor é a porta que a minha vontade concentra -

sua certeza é a hora se aproxima e bate.

WBLog

3 comentários:

Luís Gustavo Brito Dias disse...

"Ela é a dança e o céu de um jardim que suponho.
Cada letra do seu nome acorda o caminho onde começa a paz."

que lindo.

o que não é a lembrança de um amor tão puro, não é mesmo?

Lian Tai disse...

Um poema de dia todo azul...

Lian Tai disse...

Novamente me espanto com estas palavras. Tem algo de Neruda aí... uma doçura totalmente ancorada na terra, no mundo. Me agrada muito.